Domingo, 13 de Junho de 2021 05:45
-
Dólar comercial R$ 5,12 1.12%
Euro R$ 6,2 +0.6%
Peso Argentino R$ 0,05 +1.08%
Bitcoin R$ 193.810,32 -3.831%
Bovespa 129.441,03 pontos -0.49%
Economia Goiás

Balança comercial tem saldo positivo de US$ 633,47 milhões

Montante é 26,69% superior ao saldo de igual mês do ano passado e coloca Goiás na 9ª posição nacional. No acumulado entre os quatro primeiros meses de 2021, exportações do Estado superam em 17,35% mesmo período de 2020

07/05/2021 19h35
9
Por: Redação Interativa Fonte: Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás
Foto: Reprodução/Secom Goiás

Com US$ 962,150 milhões em exportações contra US$ 328,673 milhões em importações, a Balança Comercial de Goiás registrou no mês de abril saldo superavitário de US$ 633,477 milhões. O montante é 26,69% superior ao saldo de igual mês do ano passado, e coloca o Estado em nono lugar nacional em vendas externas e em 11º em compras internacionais no mês. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (06/05) pelo Ministério da Economia.

Comparado com o mesmo período do ano passado, as exportações cresceram 37,40% e as importações 64,15%. O aumento das negociações externas foi motivado, principalmente, pelo salto de vendas internacionais do complexo da soja, que saiu de US$ 464,3 milhões em abril de 2020 para US$ 624,2 milhões em igual mês deste ano.

“Sempre destaquei a relevância do agro para a economia do nosso Estado, e isso tem sido mantido e sendo de fundamental importância também durante a pandemia. Contamos com produtores que trabalham com respeito às leis e empregam toda qualidade para que cada vez mais alimentos cheguem às mesas dos brasileiros e possam ainda atender o mercado internacional”, ressaltou o governador Ronaldo Caiado sobre o resultado.

Os municípios que mais cooperaram para as exportações do mês foram Rio Verde, que realizou 28,78% das vendas, seguido de Jataí (11,82%) e Luziânia (8,87%). O principal destino de carga foi a China, que importou 51,39% dos produtos goianos vendidos em abril.

O secretário José Vitti, titular da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços, disse que os indicadores de Goiás neste ano de 2021 têm melhorado em relação ao que aconteceu em 2020, quando nesse mesmo período a pandemia provocava muitas perdas na economia. “A cada mês crescemos um pouco mais”.

Vitti disse que a recuperação pode parecer um pouco lenta, mas ocorre e vai gerar empregos em todo Estado. “Infelizmente, não é na velocidade que gostaríamos porque ainda vivemos a crise sanitária provocada pelo coronavírus. Mas os indicadores nos mostram que estamos no caminho certo para fechar o semestre com saldos ainda mais promissores no nosso comércio exterior”, disse o secretário.

Importações
As importações realizadas em abril tiveram como carro-chefe os produtos fármacos, que corresponderam a 25,69% do total importado no mês. Com isso, o saldo do período supera em 53,88% o de abril de 2020.

Os países que mais mandaram produtos para Goiás foram a Argentina (14,92%), China (14,41%) e Tailândia (9,88%), que tiveram como principais destinatários goianos os municípios de Anápolis, que comprou 32,74% do total importado pelo Estado no mês, seguida de Catalão (20,15%) e Cachoeira Dourada (15,03%).

O acumulado do ano de 2021 também fecha com saldo superavitário. Os US$ 2,747 bilhões em vendas internacionais superaram em US$ 1,056 bilhão as compras internacionais, que fecharam em US$ 1,691 bilhão. Contudo, o acumulado da balança comercial de 2021, comparado com o mesmo período de 2020, apresenta queda de 17,11% no saldo.

As exportações do primeiro quadrimestre tiveram crescimento de 17,35% enquanto que as importações cresceram 58,51%, sempre comparando com o mesmo período de 2020.

Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) – Governo de Goiás

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias