domingo, 24 de março de 2019
Redação: 27 99700 - 5717 / Comercial: 27 99700 - 5717
Brasil

16/03/2019 ás 20h45 - atualizada em 16/03/2019 ás 21h45

68

Redação Interativa

Vitória / ES

Filha do presidente do STJ detona procurador da Lava Jato: “Pirralho”
A advogada Anna Carolina Noronha, filha do ministro João Otávio Noronha, criticou Diogo Castor de Mattos após artigo sobre a operação
Filha do presidente do STJ detona procurador da Lava Jato: “Pirralho”
Reprodução/YouTube

A advogada Anna Carolina Noronha, filha do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, usou as redes sociais para defender o trabalho do pai. Ela fez uma postagem em sua conta no Instagram atacando o procurador da República Diogo Castor de Mattos, membro da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, que criticou seu pai.


Anna Carolina chamou o procurador de “pirralho” e disse que ele deveria “deixar as fraldas”. O problema começou em 4 de março, quando Mattos e os procuradores Felipe D’Elia Camargo, Lyana Helena Joppert Kalluf Pereira e Raphael Santos Bueno publicaram um artigo no jornal Folha de Londrina.


No texto, os colegas criticaram Noronha: “não possuía currículo que pudesse classificá-lo como pessoa de ‘notável saber jurídico’, requisito constitucional para acesso aos cargos nos tribunais superiores. Formou-se na pequena Pouso Alegre/MG, jamais passou perto das cadeiras acadêmicas de mestrado e doutorado, exercendo por toda a vida o cargo de advogado do Banco do Brasil. Ao menos é isso que suas decisões fazem crer”, dizia o artigo.


 


A filha de Noronha, que é conselheira seccional da OAB-DF e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente e Juventude, defendeu o pai em suas redes. “Antes de xingar Minas Gerais, seu pirralho, o sul de Minas e a faculdade de Direito de Pouso Alegre, volta pra casa, pra ver se sua mãe te ensina valores morais, éticos, e sobretudo, educação! Moleque inconsequente”, escreveu.


 




 Leia na íntegra o texto publicado por Anna Carolina Noronha:


“Dr. Diogo Castor, convido vc, douto membro do Parquet (no seu caso, parquinho) a nascer de novo… senhor empoderado procurador, deixa as fraldas, aprende a ler, a respeitar a trajetória de vida dos outros, para depois criticar e desconstituir o notável saber jurídico dos outros! Podre e pobre de espírito, só poderia pertencer ao monstro que a CF/88 criou. Ah! Pior… ser membro da força-tarefa, desse tribunal ‘ad hoc’ instituído, misturado, híbrido, sem limites e sem qualquer amparo constitucional. Pra piorar, com salários monstruosos e puxadinhos nas folhas salariais para ocupar tais cargos, criados especificamente para perseguir pessoas e torturar outras, em busca das almejadas delações premiadas, exatamente, ‘PREMIADAS’. Antes de xingar Minas Gerais, seu pirralho, o sul de Minas e a faculdade de Direito de pouso Alegre, volta pra casa, pra ver se sua mãe te ensina valores morais, éticos, e sobretudo, EDUCAÇÃO! Moleque inconsequente! Para o seu conhecimento, meu pai foi aprovado em primeiro lugar no concurso que prestou para juiz de Direito do Estado de Minas Gerais. Ao contrário de você, possui equilíbrio e coragem para decidir conforme a sua convicção, sem precisar ameaçar ninguém! Porque tem valor moral, ético, além de muito conteúdo e bagagem jurídica, o que falta para você! Antes de massacrarem os juízes, convido a todos a passarem um pente fino nos salários recebidos pelos membros do MPF! Muito dinheiro público para ficarem brincando de #powerpoint!”


 

FONTE: Metrópoles

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium