domingo, 24 de março de 2019
Redação: 27 99700 - 5717 / Comercial: 27 99700 - 5717
Brasil

17/02/2019 ás 15h59 - atualizada em 17/02/2019 ás 16h03

123

Redação Interativa

Vitória / ES

A ALIADOS, BEBIANNO DIZ QUE E SAI DO GOVERNO, MAS NÃO VAI CAIR SOZINHO
Bebianno primeira provável baixa do governo Jair Bolsonaro
A ALIADOS, BEBIANNO DIZ QUE E SAI DO GOVERNO, MAS NÃO VAI CAIR SOZINHO
Foto: Reprodução EBC

Primeira provável baixa do governo Jair Bolsonaro, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, disse a aliados que não deve cair sozinho. Ele recebeu indicações de que será exonerado do cargo na segunda-feira (18) e, até lá, deve se manter recluso e manter discrição. Depois disso, seu comportamento é uma incógnita, o que já preocupa a ala militar do governo.


 


A amigos, o ministro disse que teria sido mais honroso se Bolsonaro tivesse sido claro desde o início: que preferia deixá-lo fora do governo para não desagradar o filho (Carlos Bolsonaro), em vez de nomeá-lo à espera da primeira oportunidade para retirá-lo.


 


Bebianno passou a tarde recluso no hotel onde mora, em Brasília. A amigos com quem conversou ao longo deste sábado, deixou claro a mágoa com Bolsonaro e o rancor em relação ao filho do presidente, Carlos. Ele considerou uma covardia o fato de que o presidente não o demitiu pessoalmente e avaliou ser inaceitável assumir um cargo em Itaipu, apesar do salário 3 vezes maior - o salário anual como diretor é de pouco mais de R$ 1 milhão. À pessoas próximas, disse que não veio para o governo para ganhar dinheiro e que será leal até o último minuto em que permanecer ministro - período que deve se encerrar em menos de 48 horas.


 


Nas conversas, Bebianno tem avisado que não vai cair sozinho. Interlocutores consideram que ele fez referência a Carlos, pois tanto a ala política quanto a ala militar do governo estão decididas a afastar e reduzir a influência do vereador da Presidência da República. Enigmático, Bebianno não deixou claro se também se refere a outros membros do governo.


 


De fato, nos últimos dias o vereador tem sido mais comedido nas postagens em redes sociais, como Twitter e Instagram. No sábado, ele compartilhou mensagens institucionais do governo federal e assuntos do Rio de Janeiro, como o “monopólio” de marcas de cerveja em blocos de carnaval na cidade. Ele também chegou a elogiar o vice-presidente Hamilton Mourão e assinou petição para oferecer a medalha Pedro Ennesto para o “grande general”, um de seus desafetos no Twitter.


 


Em relação a Carlos, o rancor tem sido explícito, dizem interlocutores. Bebianno teria dito que o considera desequilibrado e um perigo para o presidente. A divulgação das conversas entre Bolsonaro e Bebianno por Carlos Bolsonaro foi considerada um desastre por políticos e militares do governo. Na avaliação de pessoas próximas a Bebianno, a atitude mostra que nenhum ministro pode confiar plenamente no presidente e que todos podem estar à mercê da fúria do vereador do Rio de Janeiro.


 


Interlocutores ponderam que Carlos já anunciou antes que se afastaria da gestão das redes sociais do presidente, mas voltou à função alguns dias depois. Os desentendimentos entre Bebianno e Carlos são antigos. Bebianno foi um dos únicos ministros que não foi anunciado pelo Twitter - o que, para aliados, seria mais uma demonstração de que a rede social do presidente é de fato administrada pelo vereador. Além disso, sua escolha para o cargo demorou semanas para ser anunciada, mesmo após a definição.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium