Quarta, 16 de janeiro de 2019
Redação: 27 99700 - 5717 / Comercial: 27 99700 - 5717
Internacional

06/01/2019 ás 22h51 - atualizada em 06/01/2019 ás 22h57

40

Redação Interativa

Vitória / ES

Igreja Ortodoxa da Ucrânia se torna formalmente independente da igreja russa
A dupla sempre passou por muitos conflitos políticos e estavam ligadas desde 1686
Igreja Ortodoxa da Ucrânia se torna formalmente independente da igreja russa
Foto: Reprodução

Foi criada neste sábado a Igreja Ortodoxa da Ucrânia na Turquia, formalizando uma cisão com a Igreja Ortodoxa da Rússia, à qual estava ligada desde 1686.

O Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, assinou os "tomos" (decretos) em Istambul diante de clérigos e do presidente ucraniano Petro Poroshenko.

Isso faz com que os clérigos ucranianos tenham de escolher entre a igreja apoiada por Moscou e a nova igreja, conforme a disputa entre forças do governo e rebeldes apoiados pela Rússia continua se arrastando no leste da Ucrânia.

"A devota população ucraniana tem esperado por este dia abençoado por sete séculos completos", afirmou Bartolomeu I em seu discurso.

O patriarca, considerado "primeiro entre iguais" no Cristianismo Ortodoxo, disse que os ucranianos podem, agora, desfrutar do "presente sagrado da emancipação, independência e autogoverno, libertando-se de toda intervenção externa".

Poroshenko agradeceu Bartolomeu I "pela coragem de tomar essa decisão histórica" e disse que "entre as 15 estrelas das igrejas Ortodoxa do mundo, uma estrela ucraniana apareceu", referindo-se ao número atualizado de igrejas que não respondem a uma autoridade externa.

No mês passado, líderes Ortodoxos Ucranianos aprovaram a criação de uma nova e unificada igreja, separada do Patriarcado de Moscou.

Em outubro, a decisão de Bartolomeu I de conceder à igreja ucraniana autocefalia, ou independência, enfureceu Moscou, e a igreja russa estreitou laços com Istambul, centro do mundo Ortodoxo.

Kiev tem feito pressão por uma igreja livre da influência de Moscou, pedido que se intensificou após a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014. Presidente desde aquele ano, Poroshenko defende a criação da igreja enquanto faz campanha para as eleições de 31 de março. Apesar da igreja não fazer parte do Estado formalmente, está ligada de perto

FONTE: Estadão Conteúdo

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium