domingo, 17 de dezembro de 201717/12/2017
27 0000-0000
Nublado
23º
25º
27º
Vitoria - ES
Erro ao processar!
POLÍCIA
PGR recorre para manter Cachoeira e Assad na prisão
PGR sustenta que o ministro não poderia ter concedido o habeas corpus sem pedir informações prévias
Fabrício Vieira Teresina - PI
Postada em 14/07/2016 ás 08h13
PGR recorre para manter Cachoeira e Assad na prisão

Foto: Divulgação

A Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou ontem recurso contra a decisão que concedeu liberdade aos empresários Carlos Augusto de Almeida Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira, e Adir Assad, ambos investigados na Operação Saqueador, da Polícia Federal.



Os acusados estavam presos no Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro, mas foram soltos na madrugada de segunda-feira (11), por decisão do ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).



No recurso, a PGR sustenta que o ministro não poderia ter concedido o habeas corpus sem pedir informações prévias sobre a investigação à Justiça Federal do Rio de Janeiro. Para os procuradores, Cachoeira e Assad devem ficar presos para “assegurar a aplicação da lei penal”



“Em síntese, destacando-se a complexidade das ações delituosas praticadas por agentes do esquema criminoso integrado pelo paciente [Cachoeira] e a gravidade concreta dos crimes, deve ser mantida a prisão cautelar de Carlos Augusto de Almeida Ramos como garantia da ordem pública e para assegurar a aplicação da lei penal”, diz a PGR.



Carlos Cachoeira, Assad e mais três investigados foram presos na Operação Saqueador, deflagrada no dia 30 de junho, após terem sido denunciados pelo desvio de R$ 370 milhões desviados de contratos públicos do município de Seropédica (RJ).



De acordo com as investigações, a empreiteira Delta, comandada pelo empresário Fernando Cavendish, que também foi libertado pela decisão da STJ, repassava dinheiro a empresas de fachada, que não prestavam os serviços. Para o MPF, Cachoeira era responsável pelas operações financeiras e o “pagamento de vantagens indevidas a agentes públicos de diversos entes federados”


FONTE: Agência Brasil
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
328
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium